(51) 3012-0812 (51) 99664-1370 (51) 99254-3163

Fale Conosco: (51) 3012-0812

Fale Conosco: (51) 99664-1370

Bancos privados sobem juros do crédito imobiliário, antecipando novo aumento da Selic

Alta já em vigor no Santander, Bradesco e Itaú Unibanco é de cerca de 1 ponto porcentual
15/09/2021

Enquanto a Caixa Econômica Federal já anunciou que vai reduzir os juros do financiamento imobiliário, mesmo com a Selic em alta, os outros grandes bancos seguem no sentido contrário e estão aumentando suas taxas em cerca de 1 ponto porcentual nas linhas de crédito tradicionais. 

Esse é um movimento que se antecipa à reunião na próxima semana do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, que deve elevar a taxa básica de juros em pelo menos 1 ponto, levando a Selic para 6,25% ao ano.

Os aumentos iniciaram com o banco Santander, que subiu, o juro do crédito imobiliário de 7,99% ao ano, mais variação da Taxa Referencial (TR), para 8,99%, segundo a instituição. Na sequência veio o Bradesco, que passou a ter taxas que variam entre 8,50% e 8,90% ao ano mais TR, dependendo do perfil do cliente.O Itaú Unibanco começou a cobrar 8,30% ao ano mais variação da TR nos financiamentos tradicionais, ante os juros de 7,30%.

A alta do custo dos financiamentos não surpreende especialistas do mercado pois historicamente estamos trabalhando com juros baixos.  Considerando todas as modalidades de crédito imobiliário, a mediana da taxa de juros antes desse reajuste girava em torno de 6,5% e, agora, vai para algo entre 7,5% e 8%, que ainda está abaixo da mediana das taxas cobradas dois anos atrás, entre 10% e 10,5% ao ano.