(51) 3012-0812 (51) 99664-1370 (51) 99254-3163

Fale Conosco: (51) 3012-0812

Fale Conosco: (51) 99664-1370

Incorporadoras de baixa renda terão semestre desafiador

Repasses de aumentos de custos para os preços dos imóveis podem afetar velocidade de vendas
26/08/2021

A continuidade dos aumentos de custos de construção está tornando o cenário do segundo semestre de 2021 mais desafiador para as incorporadoras com foco de baixa renda. Por outro lado, empresas com prioridade nos padrões médio e alto sentem menos o impacto dos reajustes de preços no ritmo de comercialização.

Na tentativa de buscar melhora das margens, companhias apostam no repasse das elevações de custos para os preços, mas isso tende a impactar a velocidade de vendas nos próximos meses, na avaliação de analistas. Por outro lado, empresas com prioridade nos padrões médio e alto sentem menos impacto dos reajustes de preços no ritmo de comercialização.

No 2º trimestre, os lançamentos das incorporadoras de capital aberto mais do que dobraram em comparação ao mesmo período de 2020. Em conjunto, o setor apresentou ao mercado R$ 10.8 bilhões, ante o Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 5.2 bilhões de abril a junho do ano passado, período mais impactado pela pandemia de covid-19. No trimestre, as vendas líquidas cresceram 72,5%, para R$ 8.6 bilhões. De janeiro a junho, os lançamentos aumentaram 88,9%, para R$ 16.6 bilhões, e as vendas cresceram 53,6%, para R$15.3 bilhões.

O ambiente continua bem favorável à demanda por imóveis por parte das classes média e alta, apesar de os aumentos da taxa básica de juros (Selic) terem começado a se refletir nas taxas cobradas pelos bancos na concessão de financiamento imobiliário. O discurso recorrente das incorporadoras tem sido de que o setor continuará a se beneficiar do cenário desde que a Selic continue em um dígito.

Segundo o presidente da Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Luiz Antonio França, a entidade mantém as estimativas de expansão de 40% do volume de lançamentos e de 30% do de vendas, neste ano, considerando que a Selic ficará abaixo de dois dígitos. Pesquisa realizada pela Abrainc apontou que, no trimestre móvel de março a maio, os lançamentos cresceram 72,1%, na comparação anual, para 30.176 unidades.

 

FONTE: VALOR ECONÔMICO